Vídeos educativos vão documentar acervo natural dos parques estaduais

Da Agecom

Um convênio firmado entre a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) e a Comunicação Interativa (Cipó) vai garantir a produção de seis vídeos educativos sobre os parques estaduais do Conduru (sul da Bahia), Sete Passagens e Morro do Chapéu (Chapada Diamantina).

Os vídeos, em duas versões – de dez e cinco minutos -, pretendem destacar as belezas naturais e os aspectos socioculturais das regiões, incentivando a visitação e a preservação do local. Com finalidade científica, educacional e de incentivo ao turismo ecológico, os documentários serão exibidos em escolas públicas e privadas e em eventos ambientais. Continue lendo

Chuva leva alívio à Chapada

Do ATarde Online
Por Edson Borges, da Sucursal de Feira de Santana, e Redação

As chuvas estão chegando na Chapada Diamantina, dando uma trégua nos incêndios que estavam acontecendo em vários municípios da região. A mudança no tempo ainda não garante o início do período chuvoso, mas já foi iniciada uma gradual desmobilização do grande aparato montando para combater o fogo, que incluiu reforços de Brasília e do Rio de Janeiro.

Vários rios já reviveram, voltando a correr com a água barrenta característica das enxurradas e com a força e a beleza das corredeiras nas pedras que formam o leito da maioria deles na Chapada. Um dos que estão com maior recuperação de água, nos últimos dias, é o Piaba, que fica em Mucugê.

O Corpo de Bombeiros e o Prevfogo de Brasília, que deslocaram, respectivamente, 30 e 25 homens, já começaram a arrumar as malas. O mesmo está acontecendo com o Prevfogo do Rio de Janeiro, que enviou 36 homens. Eles devem ficar na região no máximo até segunda-feira, 24.

Isso não quer dizer, entretanto, que a possibilidade de novos incêndios esteja descartada. Portanto, o 11º Grupamento de Bombeiros Militares, sediado em Lençóis, e as brigadas do Parque Nacional da Chapada Diamantina continuarão em alerta. Até a última quinta-feira, 20, não havia mais nenhum foco de fogo e as chuvas chegaram a cerca de 45 milímetros, molhando bem boa parte da região afetada.

“Continuamos com todo o nosso efetivo de prontidão, inclusive uma aeronave da Polícia Militar e outra do Instituto do Meio Ambiente. Durante cerca de 15 dias, estaremos plenamente mobilizados, monitorando a situação”, garante o tenente-coronel PM Miguel Filho, comandante dos bombeiros. Continue lendo

Chefe da Diamantina: Se não controlar, queima 100%

Do Terra Magazine
Por Thais Bilenky

Patrimônio em chamas. "O Parque Nacional da Chapada Diamantina foi criado (em 1985) devido à consciência da importância de preservar suas belezas cênicas", informa o Ibama

A temporada de incêndio no Parque Nacional da Chapada Diamantina (BA) ocorre entre setembro e fevereiro, quando as temperaturas ficam mais elevadas. Todo ano, o Prevfogo (Ibama) envia 42 brigadistas contratados ao parque, que ao lado de 150 brigadistas voluntários, moradores da região, atuam para debelar o fogo.

O que está se vendo este ano na Chapada Diamantina não tem antecedentes, diz o chefe do parque, Christian Berlinck. Metade da unidade está queimada, o que corresponde a 70 mil hectares. Pela gravidade e descontrole dos incêndios, o Ministério da Integração Nacional enviou ontem, 12 de outubro, mais 30 bombeiros, além dos 100 que já estavam trabalhando no local. Também ontem, o Prevfogo reforçou o efetivo com 24 brigadistas.

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) tomaram mais tempo a chegar do que deveriam, impedindo o trabalho de parte da equipe, expica Berlinck. Outras justificativas para o tamanho do estrago são de ordem natural: a temperatura está este ano mais elevada que de costume e os ventos, mais fortes e desordenados. “Com ajuda da chuva, esperamos poder conter o fogo”, diz o chefe da unidade. “Se não chover, não sei dizer o tempo que tomará porque depende das condições do vento”. E ressabia: Continue lendo

PDDU – Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano

EXERCÍCIO de narrativa da disciplina Jornalismo Digital, sob orientação da professora Jan Alyne, que consiste em escrever matéria curta, atendendo ao padrão de texto para internet, sobre o PDDU de Salvador.

Por Franco Adailton – o Francolino

Aprovado em 2007, pelo prefeito João Henrique Carneiro, o projeto de lei 216/2007 institui as questões relativas ao Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano da cidade de Salvador.

O PDDU faz parte da Lei Federal 10.251/2001, que regula o Estatuto das Cidades e visa a garantia a cidades sustentáveis, através da gestão por meio da participação popular, juntamente com o governo e a iniciativa privada.

Dentre os objetivos principais do Plano estão o crescimento econômico,  a qualificação do espaço urbano, a conservação dos atributos ambientais e a recuperação do meio ambiente degradado.

É justamente nesse ponto, ambiental, que o PDDU vem recebendo duras críticas. Os principais questionamentos, sobre a legalidade do PDDU, são a especulação imobiliária, a falta de diálogo com a população e os interesses políticos diversos.

A situação das barracas de praia, que se arrastra há três anos, e a retirada das pedras portuguesas do calçadão da Barra também suscitaram opiniões diversas, como a que Caetano Veloso publicou em seu blog.

Por outro lado, apesar de serem importantes as discussões acima, esquece-se de mencionar a segregação espacial e o acirramento das desigualdades sociais, promovidas pelo PDDU de Salvador, que não contempla ou negligencia as periferias da cidade. O que pode gerar consequências graves, para todos.

INGÁ alerta que riscos de queimadas aumentam no interior da Bahia

Do Ingá

Mais de 3.876 focos de incêndio foram registrados no Estado da Bahia somente nos primeiros 22 dias do mês de outubro deste ano, a maioria nas regiões Oeste, São Francisco e Sudoeste do Estado. Em menor quantidade, também foram registrados focos de queimadas nas regiões Norte e Chapada Diamantina. A causa é uma massa de ar quente e seco que predomina sobre toda a região Nordeste do país. O alerta foi dado hoje (23) pelo Centro Estadual de Meteorologia do Instituto de Gestão das Águas e Clima (INGÁ).

De acordo com o meteorologista Heráclio Alves, esta é a maior temporada de queimadas desde o ano de 2002, quando foram registradas, em todo o mês de outubro, 4.101 focos de incêndio. As ocorrências deste mês mostram que houve um aumento significativo de 58% do número de queimadas na Bahia em relação ao mesmo mês do ano passado, quando foram registradas 1.647 ocorrências. Já em relação ao total de incêndios registrados em todo o mês de setembro deste ano, quando foram registrados 774 focos, verificou-se um aumento em torno de 400%.

“Vale lembrar que os meses de agosto, setembro e outubro, por ser o período mais seco e quente do ano, apresentam características favoráveis à maior incidência das queimadas”, salienta o meteorologista do INGÁ, Heráclio Alves. “Entre os principais causadores de incêndio nas matas estão as pontas de cigarro jogadas ao chão, principalmente na estrada, e a utilização da técnica de queimar a vegetação para preparar o solo para o plantio, bastante utilizado pelos agricultores”, alerta Alves.

O meteorologista explica que há também as queimadas provocadas por fenômenos naturais. “A combinação entre a baixa umidade do ar, temperaturas elevadas e a ação do vento pode ser responsável por focos de queimadas também”, detalha. Continue lendo

Nós vamos invadir sua praia com um mutirão de limpeza

Da assessoria do Greenpeace
Mais do que catar lixo nas praias, o mutirão de voluntários que varrerá os litorais de todo o mundo quer educar as pessoas ambientalmente.
Mais do que catar lixo nas praias, o mutirão de voluntários que varrerá os litorais de todo o mundo quer educar as pessoas ambientalmente.

São Paulo (SP), Brasil – Voluntários do Greenpeace estarão no Rio e em Salvador neste sábado participando do Dia Mundial de Limpeza de Praias.Vai à praia neste fim de semana? Então você está convocado a participar neste sábado (20/9) do Dia Mundial de Limpeza de Praias, um grande mutirão para limpar o litoral brasileiro que será tocado por voluntários de todo o país. No Rio de Janeiro e em Salvador o esforço contará com a participação de voluntários do Greenpeace.

Leve um saco ou caixa à praia para retirar bitucas/guimbas de cigarro, tampinhas, canudinhos, cotonetes, palitos de madeira, papéis laminados de sanduíches naturais e copos e garrafas plásticas.

O Dia Mundial de Limpeza de Praias faz parte do projeto Clean Up the World Weekend (Fim de Semana de Limpeza do Mundo), do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), em que grupos, organizações e comunidades são incentivadas a limpar praias, rios, lagos e lagoas, e também promover educação ambiental das pessoas.

O evento é realizado todos os anos no terceiro fim de semana de setembro.