Polícia Federal prende desembargadores e um juiz no Espírito Santo

Da Agência Brasil
Por Ana Luiza Zenker

Brasília – Sete pessoas, entre elas o presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, Frederico Guilherme Pimentel, e dois desembargadores, Eupídio José Duque e um segundo que não foi identificado, foram presas pela Polícia Federal no Espírito Santo, em cumprimento a mandados de prisão expedidos pela ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Ela é relatora do inquérito que investiga o envolvimento de desembargadores, um juiz, advogados e uma servidora pública em crimes contra a administração pública e a Justiça. A ministra também expediu 24 mandados de busca e apreensão. Continue lendo

Anúncios

Marcos Valério nega envolvimento em crimes fiscais, diz advogado

Da Agência Brasil
Por Marli Moreira

São Paulo – O publicitário Marcos Valério de Souza nega ter feito parte da quadrilha que extorquia empresários com débitos fiscais e fazia operações ilegais para o desembraço de mercadorias no Porto de Santos. Ele está preso em regime temporário na carceragem da Polícia Federal em São Paulo desde ontem (10), quando a Operação Avalanche, da PF, começou a desarticular o bando, que agia em São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo.

O advogado de Marcos Valério, Marcelo Leonardo, informou hoje que antes de tomar conhecimento do processo, composto de 19 volumes e 4 mil páginas, não irá tomar nenhuma providência. Ele acredita que na próxima segunda-feira, ou no máximo terça, conseguirá ler as peças e separar a parte que se refere ao cliente dele.

Questionado sobre o envolvimento de Marcos Valério, o advogado afirmou que “ele alegou não ter tido nenhuma participação”, disse. Continue lendo

3º Concurso de Monografias da CGU distribui até R$ 39 mil de premiação

Da Controladoria Geral da União

Estão abertas, até o dia 13 de outubro, as inscrições para o 3º Concurso de Monografias da Controladoria Geral da União.  Este ano, a CGU adotou os temas “Prevenção à corrupção” e “Combate à corrupção”. Poderão concorrer trabalhos individuais e em grupos de candidatos de qualquer nacionalidade, idade ou formação acadêmica.

Na categoria universitários, os vencedores receberão R$ 6 mil e R$ 3 mil, primeiro e segundo colocados, respectivamente. Na categoria profissionais, receberão R$ 20 mil e R$ 10 mil, primeiro e segundo colocados, respectivamente. Os ganhadores das duas categorias ainda receberão um certificado.

Instituído em 2005 pela Controladoria Geral da União – CGU, o concurso tem como finalidade estimular pesquisas voltadas ao combate à corrupção no Brasil, como forma de incentivar a participação do cidadão no controle da administração pública, estimular a discussão sobre ética entre os jovens, identificar iniciativas bem sucedidas na área e colher proposições de políticas e ações que possam ser adotadas por governos e sociedade.

No ano de sua instituição o concurso foi aberto a duas modalidades: monografias e redações. A segunda edição se deu no ano de 2007 com inscrições apenas a trabalhos monográficos para as categorias – Universitários e Profissionais.

Confira aqui o regulamento. As inscrições podem ser feitas no site da Escola de Administração Fazendária.