Raimundo Varela anuncia apoio a Walter Pinheiro

Do ATarde Online
Por Aguirre Peixoto e Lília de Souza

O radialista Raimundo Varela (PRB) – depois de reunião durante a manhã com o governador Jaques Wagner e Walter Pinheiro, na Governadoria – formalizou, na tarde desta sexta-feira, 10, em entrevista coletiva, seu apoio ao candidato petista a prefeito de Salvador. Chegou a dizer que se desfiliará se o seu partido não caminhar junto com ele: “Eu me desfilio e vou para o PT”. À noite, o PRB anunciou que oficializa, neste sábado, 11, o apoio ao candidato do PT.

Varela explicou que consultou a direção nacional do PRB e recebeu carta branca para se definir pelo petista. O anúncio foi feito no Hotel Fiesta, com a presença de Pinheiro e da candidata a vice Lídice da Mata (PSB).

Na quinta-feira, Varela se reuniu em sua casa com Pinheiro, Lídice e o deputado Nelson Pelegrino (PT). Em entrevista exclusiva a A TARDE, o radialista insinuou interesse por uma candidatura à Câmara dos Deputados em 2010. “Precisa de uma equipe melhor para brigar pela Bahia em Brasília”, disse. Entre seus projetos, disse que quer fazer mudanças no Código Penal Brasileiro e na Lei de Transplantes do Brasil.

Para uma eventual tentativa de chegada à Câmara Federal, Varela afirmou ser necessário um partido “com maior musculatura eleitoral”. “O PRB está crescendo, já temos 20 mil filiados em Salvador, mas fazer dele um partido grande demanda muito tempo, e eu não tenho mais tempo. Claro que, se eu quiser ser candidato em 2010, eu tenho que ir para um partido maior”, declarou. O radialista não se candidatou a prefeito neste ano devido à falta de alianças e ao exíguo tempo de horário eleitoral gratuito do PRB. Continue lendo

ACM Neto e PR ficam com João Henrique

Do ATarde Online
Por Vitor Rocha

O candidato derrotado do DEM, ACM Neto, oficializou nesta sexta-feira, 10, o apoio ao prefeito João Henrique (PMDB) na disputa do segundo turno das eleições de Salvador, conforme A TARDE antecipara. Os dois assinaram termo de compromisso em que o prefeito garante inserir em suas propostas de governo alguns projetos do democrata, como a instalação de câmeras de vigilância nos bairros e a educação em tempo integral para o ensino fundamental. A posição do DEM foi a mesma do PR, que anuncia neste sábado, 11, a preferência por João.

O acordo entre DEM e PMDB põe geddelistas e carlistas lado a lado. Fato inusitado, pois o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB), teve no falecido senador Antonio Carlos Magalhães seu principal adversário. Geddel é o principal avalista da campanha de João e responsável pela articulação política para aglutinar o apoio do DEM, mas não foi ao ato de celebração da aliança na sede do Democratas, na Pituba.

Para tomar decisão, ACM Neto assegurou não ter negociado cargos no caso de o prefeito ser reeleito. “Este termo de compromisso anuncia expressamente que não faz parte desta composição qualquer tipo de interesse por cargos ou por indicação de posições na prefeitura”, disse Neto, ao lado do presidente do DEM na Bahia, Paulo Souto, do presidente do PMDB baiano, Lúcio Vieira Lima, de João Henrique, deputados e outros líderes partidários.

De acordo com ACM Neto, pesou o fato de João ter sido respeitoso com ele no primeiro turno. “João Henrique, diferente dos demais candidatos, procurou preservar a linha do respeito pessoal, o que obviamente contribui para essa decisão”.

Sobre as críticas que proferiu a João, a exemplo de “prefeito de quatro meses de obra”, Neto alegou que se limitou aos assuntos políticos. Aproveitou para dizer que o prefeito acertou ao priorizar os quadros técnicos na segunda metade da administração. Sobre Walter Pinheiro (PT), adversário de João no segundo turno, Neto disse que a escolha não o fez definir um adversário. “Tenho reconhecimento pessoal pelo deputado Walter Pinheiro”, falou.

Neto disse ainda que sempre manteve diálogo com Geddel, mesmo quando seu avô ainda era vivo. “As minhas relações são as minhas relações”, disse. “Eu entendo que o senador Antonio Carlos marcou a política da Bahia. Mas o momento hoje é de diálogo entre várias correntes”, concluiu Neto. Continue lendo

Wagner propõe membros do Executivo fora do 2ºturno

Do Terra Magazine
Por Bob Fernandes

"Ou apenas os candidatos e seus partidos conduzem as campanhas e os vários niveis do Executivo, os representantes do Executivo, não sobem no palanque, ou sobe todo mundo"

Jaques Wagner:

Na política nada é impossível e não existe o impensável. Alguém imaginaria o presidente Lula e o governador da Bahia, Jaques Wagner, torcendo para que o deputado ACM Neto fosse para o segundo turno? ACM Neto, aquele que bradava e espumava nas CPIs pré-2006 e que ameaçou “bater” no presidente da República. ACM, o deputado a quem Lula chamou de “o naniquinho”. Pois é, Lula e Wagner jamais dirão isso de público, negarão se preciso for, mas certamente torceram para que ontem o adversário, herdeiro do carlismo, chegasse ao segundo turno.

ACM Neto ficou para trás e o candidato do PT, Walter Pinheiro (30,06%), enfrentará o atual prefeito, João Henrique, do PMDB (30,97%). A derrota de ACM Neto e a vitória do João Henrique criam uma problemaço. Para Wagner, e para Lula.

Onde se lê João Henrique, leia-se Geddel Vieira Lima, ministro da Integração Nacional, do PMDB, da base de sustentação do governo Lula e também do governo Jaques Wagner. E agora, como será?

A Bahia viverá, como d’hábito, uma guerra. Como evitar que as batalhas do segundo turno soteropolitano estraçalhem a aliança no plano regional e infeccionem a dobradinha nacional PT-PMDB com a qual Lula trabalha para 2010?

Mal cerradas as urnas, ainda em meio às comemorações pelo feito de ver chegar ao segundo turno um candidato, Pinheiro, que deu a largada com 3% das intenções de voto e também por outros bons resultados no Estado, o governador Jaques Wagner propõe:

(…) Ou apenas os candidatos e seus partidos conduzem as campanhas e os vários níveis do Executivo, os representantes do Executivo, não sobem no palanque, ou sobe todo mundo. (…) Ou ficamos todos nós de fora ou entrarão todos, e não apenas eu e o ministro Geddel. Ou não entrariam na campanha nem o governador nem o ministro, ou entraríamos todos…

Nos casos onde PT e PMDB disputam, o que faria o presidente Lula?

Proposta de Jaques Wagner:

Ele não entra, mas, independente disso, se optar por manter sua base mais distante dos palanques, deve dizer aos ministros que também não entrem. Aí não entraria ninguém, só os candidatos e os partidos.

A seguir, os principais trechos da conversa com o governador da Bahia. Continue lendo

Ironia do destino: Jornal da família Magalhães anuncia derrocada do carlismo

Por Franco Adailton – o Francolino

Dois anos depois da primeira grande derrota do carlismo, quando Jacques Wagner, com uma vitória acachapante, derrotou o candidato do então PFL, Paulo Souto, ao governo do estado, e um ano após a morte do senador Antônio Carlos Magalhães, a família, que é dona da Rede Bahia, vê o neto homônimo e último herdeiro político do avô ser derrotado ao pleito eleitoral de Salvador.

Ironia do destino, jornal da familia Magalhães anuncia tragédia carlista
Ironia do destino, jornal da família Magalhães anuncia tragédia carlista

Veja a matéria de capa do site do Jornal Correio da Bahia.