Pelourinho Cultural: Mudhoney em Salvador

Do ATarde Online
Chico Castro Jr.

Depois da promissora retomada, no ano passado, após um hiato de nove anos, o festival Boom Bahia chega à versão 2008 maior e melhor, trazendo para o Pelourinho, além de 23 atrações locais e nacionais, uma das bandas mais importantes do grunge: Mudhoney.

Surgida na capital do Estado de Washington (costa oeste americana), em 1988, a banda foi influência fundamental para o Nirvana de Kurt Cobain. Seu estilo protopunk e garageiro descende diretamente do som de bandas como Stooges (de Iggy Pop), MC-5 e Hawkwind, entre outras.

“O Mudhoney é a banda que tem o tamanho e a representação que o Boom Bahia precisava – e podia receber”, observa Messias Guimarães Bandeira, idealizador e organizador do festival.

“É uma banda fundamental para uma cena alternativa importante, como foi o grunge. Ela casa muito com a idéia de independência que guia o festival, já que vem mantendo seu trabalho e sua integridade ao longo de 20 anos de carreira”, reflete.

“Nesse sentido, eu diria que sua vinda à Bahia ganha um caráter até mesmo pedagógico, pois se trata de um modelo de banda indie no qual as bandas daqui deveriam se mirar”, acrescenta.

Encontros – Na verdade, sua vinda precipitou a própria realização do festival. Previsto para dezembro, Messias diz que resolveu antecipá-lo para poder aproveitar a passagem da banda pelo Brasil.

“Talvez esta não seja a maior edição do Boom Bahia, já que a de 1998, a última antes de pararmos, reuniu um público bastante significativo. Mas, com certeza, é a melhor, pela diversidade de atrações”, acredita.

Realizado graças ao apoio do Pelourinho Cultural (órgão da Fundação Cultural do Estado) e a recursos próprios, o Boom Bahia 2008 é um festival que não visa “apenas” entreter o público oferecendo um punhado de shows, mas também ajuda a fortalecer e pensar as cenas alternativas baiana e brasileira.

Para isso, serão realizadas duas mesas-redondas na sexta-feira – abertura do festival – e uma conferência no domingo. A primeira mesa, intitulada Mídia e Música, reunirá jornalistas culturais e será mediada pelo professor da Facom-Ufba Jéder Janotti Jr.

A segunda mesa-redonda será o Encontro Regional da Abrafin (Associação Brasileira dos Festivais Independentes), à qual o Boom Bahia é filiado. Reunirá nomes importantes da cena alternativa nacional, como Paulo André (Abril Pro Rock – PE), Anderson Foca (Festival DoSol – RN), Ivan Ferraro (Feira da Música – CE), Rogério Big Bross (Boom Bahia) e Gilberto Monte (diretor de Música da Funceb), com mediação do próprio Messias.

“Queremos reunir os produtores e músicos para discutir a movimentação dos próprios artistas nesses festivais promovidos pela Abrafin, além de fazer um balanço do que está sendo realizado Brasil afora, estabelecer estratégias e integrar calendários, entre outros assuntos”, adianta o organizador.

Mas é na conferência de domingo, apoiada pela Escola Brasileira de Psicanálise, Editora Boitempo e Aparelho Cultural, que Salvador receberá a segunda estrela internacional do evento: o sociólogo, filósofo e crítico cultural esloveno Slavoj Zizek, que proferirá a palestra Violência e Subjetividade, além de lançar seu livro, A visão em paralaxe.

A conferência do Zizek também marcará o lançamento da Digitália, “uma feira que vamos realizar em 2009”, adianta Messias, sem querer dar maiores detalhes antes do tempo.

Seleção – Para fechar a grade, Messias e sua equipe de dez voluntários tiveram de empreender um sério trabalho de curadoria. “Recebemos muito material desde que o festival voltou, em 2007. Foi um trabalho grande, mas conseguimos fechar nessas 24 atrações”, conta.

“Os critérios foram a qualidade do som, o tempo de estrada e a perspectiva de crescimento no cenário”, enumera Messias. O resultado foi, de fato, bastante interessante e revela a diversidade e as diversas cores do rock baiano.

Do som no talo de bandas como Estrada Perdida, Yun-Fat e Lou à pegada mais pop de Vivendo do Ócio, Berlinda e Starla, passando por medalhões locais como Retrofoguetes, Ronei Jorge & Os Ladrões de Bicicleta, a cena se desenha multicolorida e renovada.

Veja programação

SÁBADO – 11 DE OUTUBRO, a partir das 14 h

Sweet Fanny Adams
Influenciada pelo pós-punk, a banda de Recife deverá botar todo mundo para dançar com seu som que remete a grupos como Gang of Four, Strokes e Libertines. No início do ano, foi uma das revelações do Abril Pro Rock.

Retrofoguetes
Banda local que dispensa apresentações, o trio formado por Morotó (guitarra), Rex (bateria) e CH (baixo) já está acostumado a incendiar palcos em Salvador e no Brasil.

Vivendo do Ócio
Novata na cena, a Vivendo do Ócio é a grande revelação do rock local em 2008, conquistando todas as platéias onde se apresenta. Seu som remete à Arctic Monkeys e The Rakes.

Theatro de Seraphin
Outro grupo com influências do pós-punk, a Theatro de Seraphin é formada por veteranos da cena local, oriundos de bandas como Treblinka e brincando de deus. Som forte e com personalidade.

Lou
Apesar de contar com um baterista (o experiente produtor Jera Cravo), a Lou é essencialmente uma banda de rock pesado feminino

DOMINGO, 12 DE OUTUBRO – a partir das 14 h

Estrada Perdida
Um tesouro da cena local ainda a ser descoberto, a Estrada Perdida combina o lirismo de Lou Reed e Nick Cave ao peso do Motorhead e MC-5. Já foram chamados de “os Stooges de Salvador”.

Ronei Jorge
Outra banda que dispensa apresentações, Ronei Jorge & Os Ladrões de Bicicleta é nacionalmente reconhecida pelas letras sensíveis do band-leader e a garra e técnica dos seus músicos.

Berlinda
Revelação local de 2007, a Berlinda alia letras em português com uma pegada indie rock classic, no melhor estilo de bandas como Smiths, Ride, Teenage Fanclub e Jesus and Mary Chain.

Starla
Com influências essencialmente noventistas como Smashing Pumpkins e Pato Fu, a Starla faz indie rock em bom português. Ecos de Beatles também surgem aqui e ali no som.

Irmãos da Bailarina
Com influências tão diversas quanto Chico Buarque e Queens Of The Stone Age, esta banda apresenta um som pesado e carregado de poesia urbana, sentimento e personalidade.

Curumin
Uma das atrações mais aguardadas do festival, o paulista Curumin faz parte da cena que está renovando a MPB. Seu CD Japan Pop Show ganhou elogios até da imprensa gringa e da atriz Natalie Portman.

PROGRAMAÇÃO


Sexta-feira | 17 horas
Abertura com mesas-redondas e as bandas Matiz e Alex Pochat & Os Cinco Elementos
Icba | Av. Sete de Setembro, 1.809, Corredor da Vitória | 3338-4700

Sábado | 14 horas
Com as bandas Os Culpados, Lumpen, Vivendo do Ócio, Os Irmãos da Bailarina, Lou, Theatro de Seraphin, Sweet Fanny Adams e Retrofoguetes

Domingo | 14 horas
Com as bandas Starla, Yun-Fat, Estrada Perdida, Declinium, Berlinda, SubAquático, Curumin, Ronei Jorge e Os Ladrões de Bicicleta e DJ Incidental
Largo Teresa Batista | Pelourinho | Entrada gratuita

Quarta-feira | 18 horas
Com as bandas Mudhoney, Nancy & Os Nunca Vistos e Pessoas Invisíveis
Praça Pedro Archanjo | Pelourinho | Ingresso: um livro didático ou infanto-juvenil.

Leia entrevista com Mark Arm, vocalista da banda.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: